Augusto Corrêa pode ganhar um novo produto turístico

0

Além dos passeios oferecidos nas Fazendas Baruri e Lagoa Park, em Augusto Corrêa, o município deve ganhar uma nova opção de produto turístico que está sendo desenvolvido pelas empresárias Hortência e Janaina Osaqui, que propõe uma vivência ribeirinha para os visitantes e moradores da cidade.

O roteiro turístico foi testado nesse fim de semana com o professor Ricardo Frugoli, do Instituto de Pesquisa da Cozinha e da Cultura Brasileira (IPCB). O pesquisador, que conhece bem as potencialidades turísticas de Augusto Corrêa, acredita que o novo projeto terá sucesso. “É um momento que encanta, como comer o turú em um rancho de pescador. O turista que vem de fora busca por esse tipo de experiência”, afirmou o professor.

Ricardo Frugoli já esteve na região pesquisando a farinha d’água produzida na Região Bragantina. A “Rota da Farinha” foi um dos projetos desenvolvidos pelo pesquisador em sua dissertação de mestrado. A farinha também foi o motivo que levou Ricardo a voltar à região.

“Vim em busca de parcerias com produtores locais para o projeto Maniçobão do Romeiro, que distribui o prato típico paraense para os romeiros do Círio de Nazaré. Queremos levar a farinha daqui de Augusto Corrêa para incrementar o prato”, explicou o pesquisador e chef de cozinha ao contar que a Fazenda Bacuri é uma das parceiras confirmadas no projeto.

A agricultora familiar Hortência Osaqui aproveitou a oportunidade para mostrar o novo roteiro turístico que está sendo montado, para um turista experiente. “Já estávamos vendo o projeto da farinha e convidei para que ele conhecesse nossa proposta de vivência. Fiquei feliz pelo aceite, tanto do ponto de vista da estruturação do roteiro, como para firmarmos parcerias nessa direção também”.

Augusto Corrêa tem oferta de turismo para quem deseja contato direto com natureza, locais reservados e experiência de vivências com a comunidade local.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade