Quadrilhas Juninas Mantêm Tradição em Augusto Corrêa

0

Nos últimos 30 anos de realização da Feira da Cultura Popular Arraial Urumajó, as quadrilhas
juninas do município, tradicionais e modernas, sempre foram as atrações mais aguardadas e
prestigiadas pelo público. Todos os anos a expectativa é grande para ver de perto um
verdadeiro espetáculo de coreografias, simpatia e beleza dos trajes que são preparados com
muita criatividade.

Nessas três décadas Augusto Corrêa presenciou grandes disputas no palco da Feira da Cultura
Popular, como as das quadrilhas ‘Mudança de Hábito’ e ‘Xodó de Um Caipira’. A Mudança de
Hábito tinha sua própria identidade conhecida na região, homens vestidos com roupas de
mulheres e mulheres vestidas com roupas de homens. Durante anos foi à atração mais
aguardada da Feira. O grupo foi criado pelos alunos do antigo magistério da escola Rosa
Athayde, no início da década de 90, o ponta pé inicial surgiu pelos jovens Moca Nascimento,
Andrea Faro, Marquinho Lima, Tonico Fonseca, Mauro Magno e o popular Mudinho, entre
outros. Infelizmente a quadrilha foi extinta em 2013.

Logo em seguida surgiu outra com grande paixão. Em 2003 nascia a Xodó de Um Caipira,
fundada por Mauro Magno, que arrastou vários títulos no municipal de quadrilhas de Augusto
Corrêa além, claro, da quadrilha Encanto Araiense da vila do Araí que teve seu papel de
destaque nos festejos juninos do município.

Atualmente dois grupos juninos se mantêm vivos nos terreiros de São João, as quadrilhas Rosa
Junina e Xodó de Um caipira que iniciaram suas preparações de ensaios no início do mês de
janeiro deste ano. Segundo o vice-presidente da Rosa Junina essa é uma forma de manter viva
a tradição local, trabalhando com a juventude unida e afastada das drogas. “Estamos
mantendo viva a cultura popular. Agradecemos a todos que nos incentivam e participam
conosco”, reiterou Otávio Montalvão ao informar que este ano a Rosa Junina vem com tema:
As Flores dos Andores dos Santos.

A Xodó de Um Caipira está no terreiro há 16 anos e vem com tema “Sobre o Sol do Sertão Não
Perca a Fé João”, retratando a labuta do trabalhador do campo. Segundo o presidente da
quadrilha, um grande investimento financeiro que é realizado pelo grupo. “São aplicados em
torno de 20 mil reais anualmente. Mas isso resulta em um belo trabalho que fazemos para não
deixar nossa cultura morrer. Temos um dos maiores festejos do nordeste do Pará, nossa
tradição tem que se manter viva”, concluiu o presidente da quadrilha, Mauro Magno.

A disputa tradicional das quadrilhas juninas vai acontecer no dia 27 de junho, com início às
20h. A Feira da Cultura Popular Arraial Urumajó acontece de 27 a 30 de junho, na sede do
município de Augusto Corrêa. Deste do início do mês o município vivencia as festas juninas em
diversos arraiais que acontecem em várias comunidades.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade